Cuidados a ter numa análise de conteúdo

analise-de-conteudo-dados qualitativos

Na análise de conteúdo sugerimos alguns cuidados para assegurar o rigor e a relevância científica de uma pesquisa:

  • Trabalhar com amostras reunidas de forma sistemática;
  • Questionar a validade dos procedimentos de recolha dos dados;
  • Trabalhar com codificadores e categorias que permitam a verificação da fidelidade dos resultados;
  • Conjugar a análise interpretativa com a análise de frequências;
  • Medir a produtividade da análise.

A fidelidade do instrumento depende do processo de codificação, isto é, do codificador e do instrumento de codificação que ele dispõe.

A fidelidade do codificador permite que o mesmo codificador, aplicado em momentos diferentes ao mesmo texto, produz os mesmos resultados nos dois momentos. A fidelidade das categorias de análise assegura que as unidades de análise reúnam consenso e entendimento entre diferentes investigadores/ leitores. Trata-se aqui de evitar a ambiguidade das categorias de análise de forma a poderem ser classificadas e compreendidas, sem dificuldade ou dúvidas.

A validade da análise  é definida como a adequação entre os objetivos e as etapas de análise definidas. Na definição das etapas de aplicação do instrumento de investigação deve ser considerada: a representatividade da amostra, a escolha das categorias de análise, das unidades de registo e dos índices de quantificação.

O conceito de validade além da sua dimensão metodológica, é um conceito que deriva dos objetivos definidos para a investigação. Por isso são apontadas quatro tipos de  validade:

  • A validade do conteúdo
  • A validade preditiva
  • A validade comparativa
  • A validade comparativa
  • A validade interpretativa

Para ilustrar e compreender melhor a distinção entre os quatro tipos de validade, consideramos uma investigação sobre a vivência do alcoólico, analisada com base num conjunto de rácios sintáticos que permitem identificar diferentes fases na vivência do alcoólico.

Exemplo de um Caso de Estudo sobre a Vivência do Alcoólico

Os rácios sintáticos foram construídos com base na seleção frequencial de palavras (verbos, adjetivos, nomes, etc).

  • Se quisermos medir o vocabulário dos alcoólicos estaríamos interessados na validade do conteúdo.
  • Se quisermos predizer a duração da desintoxicação seríamos remetidos para a validade preditiva.
  • Para comparar o vocabulário dos alcoólicos e o dos não alcoólicos, teríamos de ponderar a validade comparativa.
  • Se o objetivo fosse fazer inferências  sobre as capacidades mnemónicas dos alcoólicos, estaríamos perante um caso de validade interpretativa.

Portanto, a validade é uma noção metodológica que advém dos objetivos da investigação.

Em síntese, a análise de conteúdo é uma técnica de investigação que permite a descrição sistemática, objectiva e quantitativa do conteúdo das comunicações. Pode ser aplicada a variados campos, como a imprensa, discursos políticos, diários, estudos bíblicos, respostas a perguntas abertas, etc.

A análise de conteúdo implica a existência de objectivos formulados com base num quadro referencial teórico que fundamenta e orienta a definição de categorias de análise, de unidades de análise e a constituição do corpus que vai ser objecto de aplicação desta técnica.

Partilha conhecimento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *